Terça-feira, 4 de Setembro de 2007

O despedimento do Prof. Dr. Adriano Brandão

Há algum tempo que estamos a par dos problemas entre o nosso amigo Prof. Dr. Adriano Brandão e o Instituto ISMAI.

Por isso aqui deixamos para que conheçam melhor, os vários documentos relacionados com este assunto:


O Prof. Dr. Adriano Brandão escreve:


4 de Setembro 2007


ESPALHEM A BOA NOVA!....
Colegas,
mais uma vez, fui despedido do ISMAI. Assim, solicito a todos os colegas que procurem, em www.snesup.pt, as razões. Aí, encontram, de forma bem explicita, as causas do meu despedimento.
O SNESup está a fazer o necessário para defender a "justa causa".  Mais uma vez, a Maiêutica e eu próprio, fomos notificados pelo TTMAI para comparecer na próxima quinta-feira,nesse local às 14h....
Creio que o SNESup explica bem o que se passa, por outro lado, sem uma leitura dos acontecimentos, ficamos sempre na interrogativa... Portanto, recomendo a todos uma leitura.
Estou disponível para continuar a defender a classe, sobretudo aqueles que vêem o seu contrato em risco ( foram muitos que me procuraram).
O endereço é o mesmo brandao.arouca@sapo.pt
 Saudações académicas.
 Prof. Doutor Adriano Brandão
 ISMAI
 LYON

 

O Silêncio é tenso
Foi enviado, mas continua sem qualquer resposta.
Excelentíssimo Senhor Inspector Geral,
 
com os meus respeitosos cumprimentos.
Venho, muito respeitosamente, expor as minhas preocupações enquanto professor e de delegado sindical do ISMAI, sendo o único professor associado a tempo integral no meu departamento e neste departamento não há qualquer professor catedrático no activo a tempo integral.
1- Em 04 de Dezembro de 2006, solicitei fotocopia da acta da reunião do CC-ISMAI, onde se discutiu e aprovou a distribuição do serviço para 2006-007. (ver anexo). Na dita reunião, coloquei a questão da falta de respeito pelo ECDU e não concordando com a distribuição, exigi que ficasse em acta o "voto de vencido" e votei contra. Requeri fotocópia que me foi negada e indicada a consulta do livro de actas. Essa consulta foi feita na presença do Presidente do CC do ISMAI e Vice-presidente, em 16.07.007, pelas 18 horas.
2-Consultei os docs em discussão para a reunião de 16.07.007 e verifiquei que o serviço da Licenciatura de Psicologia tinha sido distribuído, sem ter em conta, os "Critérios aprovados" (  baseam-se no ECDU) na última reunião do CC, Maio de 2007). Na reunião do CC que se realizou em 16.07.007, pelas 21h 30mn, foi aprovado o serviço docente para 2007-008, ficando o Professor Doutor Adriano Brandão sem qualquer serviço distribuído.
3- Enviei carta ao director de Departamento em tempo oportuno, ( ver anexo), a pedir serviço para 2007-008. Este respondeu que entregou o referido pedido ao Presidente do ISMAI.Não me distribuiu qualquer serviço.

4- Na reunião do  CC de Maio de 2007, reafirmei que a Maiêutica, contra a decisão do Tribunal, continua a impedir-me de participar nos CCs, impondo-me um horário de 7horas por dia, 35h/semana. Verifica-se que para além do aspecto de proibição, por parte do Presidente da Maiêutica, há impossibilidade de cumprir no mesmo dia 3,5h+3,5h+3,5h,( pois as reuniões do CC realizam sempre às 21h e 15mn e acabam sempre para lá da meia noite) ver código de trabalho.( ver CT art. 163º).

 

5- Apresentei um livro um livro, em 20 de Julho de 2007, o que exigiu muitas horas extra, pois no ISMAI não tenho condições para eecrever ou investigar. Conforme a tradição académica, é de bom tom, a Instituição dispensar o professor durante 3/5 dias. O pedido foi feito, mas só me concederam o dia 20, sexta-feira. Pedido semelhante foi feito durante duas ou três vezes em 2006-007 para outras acções de trabalho/investigação e foi sempre recusado.
Obrigam-me a estar presente no ISMAI sem qualquer serviço docente distribuído.
6- Trabalho no ISMAI desde Março de 1994, e foi acordado comigo um horário 10h-17h, às segundas e terças-feiras,  10h-14h às  quartas-feiras, com férias segundo o calendário da Instituição.Todas as horas feitas fora destes períodos foram pagas na média de €50/h, como pode ser justificado pelas declarações de rendimento. Em Novembro de 2006, o Presidente da Maieutica impõe-me um horário de 36h/semana,  obrigando-me a vir todos os dias. Houve alteração do horário, sem qualquer consulta, quer à estrutura sindical quer ao trabalhador, violando o artigo 173º do CT. (ver  anexo, carta 2 e 3 da Maieutica integração. doc).
7- Encontro-me sem serviço lectivo, sem liberdade de investigar e autonomia na regência das minhas disciplinas, sem possibilidades de participar nos CCs e sem ser reintegrado nas minhas funções.
 Pelo exposto, solicito que o SNESup tome as devidas medidas/estratégias para que a normalidade seja reposta no ISMAI.
Com os melhores cumprimentos.
 Prof. Doutor Adriano Brandão
 ISMAI
 LYON
PS.
Vou dar conhecimento ao Presidente do ISMAI, dsilva@ismai.pt, geral@igces.mctes.pt; mctes@mectes.gov.pt; igt@igt.gov.pt  

 


Outros documentos:


1.carta de distribuição de serviço 2007-2008

2.carta 2 e 3 da Maieutica

3. carta a PCC - pedido de acta de reunião

4.carta - voto de vencido serviço PCC 2006


 

publicado por lamire às 23:45
link do artigo | comentar | favorito
17 comentários:
De Denise a 5 de Setembro de 2007 às 22:20
Venho apresentar o meu mais profundo desgosto por saber que no nosso país continuam a suceder tais monstruosidades. Tive conhecimento do caso do colega Adriano Brandão através do SNESup que lutará, obviamente, com todas as suas forças pela reposição da justiça.
Desejo as maiores das forças ao colega,
Denise Estrócio (Algarve)
De nb a 21 de Abril de 2008 às 19:00
parece que o tribunal deu razão à maieutica.
alguém perdeu uma boa ocasião para estar calada.

Ha ha ha
De PO a 4 de Junho de 2008 às 15:34
QUERIDO que eu saiba o tribunal deu razão ao DOUTOR Brandão, razão pela qual ele ainda se encontra no Ismai. Obviamente não conhece o caso e por isso se calhar é melhor remeter-se à sua insignificância.
De amimnaomenganastu a 2 de Novembro de 2008 às 18:41
Admiro a coragem da colega. Esta reacção da sua parte é mais uma prova que não temos medo!
Conheço a situação que é mesmo grave e convido a todos que dúvidam desta situação a visitar o Prof. Sexagenário que todos os dias é obrigado a fazer mais de 200Km para permanecer 7h por dia sentado sem qualquer serviço. Nunca o deixam participar em congressos ou outras actividades académicas. Só visto! Mais, a Entidade Patronal impõe ao CC a aprovação desta situação humilhante, discriminatória...
Façam uma visita ao ISMAI. Leiam o que há no web SNESup Adriano Brandão.
Caro Prof. A. Brandão, pode crer que terá mais gente do seu lado do que do outro. Força! estamos contigo
O Conhecido
De lamire a 22 de Abril de 2008 às 18:21
Como a palavra pode induzir em erro, maiêutica é a empresa que dirige o ISMAI.
De Anónimo a 4 de Junho de 2008 às 15:31
Bem fiquei perplexa quando li o motivo de toda esta confusão e mais ainda quando vi com os meus próprios olhos o local, que absolutamente horrível , em que COLOCARAM o DOUTOR Brandão. Sou aluna do ismai e tenho a dizer que , para mim, o objectivo disto tudo era somente para retirar o cargo de docente ao Doutor e colocar outros no seu lugar que vão para as aulas de braços cruzados à espera que sejam os alunos a dar as mesmas.... e num mestrado tal coisa não dignifica uma instituição. Afinal o ismai ainda vive na fase da ditadura, afinal um professor não pode manifestar o que pensa e sente... fantástico... PROFESSOR CONHEÇO-O E SEI QUE É UMA ÓPTIMA PESSOA, POR FAVOR AGUENTE FIRME ESTA SITUAÇÃO!!!
De Ana Silva a 3 de Dezembro de 2008 às 19:21
Fui aluna do Prof. Doutor Adriano e acompanhei o início desta luta. Tudo isto é lamentável e não dignifica em nada o ISMAI . Quem mais perde com tudo isto são os alunos, pois são privados de aprender com o melhor professor do Instituto Superior da Maia. Felizmente tive o privilégio de ter aulas com o Doutor, que para mim, foi o melhor professor que tive até à data e em simultâneo uma referência de profissionalismo e carácter. Desejo-lhe tudo de bom e que vença esta luta. Tal como reza a histórias as pessoas mais evoluídas são sempre as mais perseguias. FORÇA! Prof.
De Anónimo a 26 de Fevereiro de 2009 às 09:52
Temos que ajudar este professor que é um exemplo de resistência. Este acontecimento é próprio do fascismo e não de uma democracia. Estes senhores são marginais porque não cumprem/respeitam as leis.
repete-se as histórias das privadas, filhos e pais fazem tudo para arranjar poder. Temos ou não MCTES ? Temos ou não Governo.

Força amigo Brandão é um exemplo vivo, no Alentejo ficou a Catarina. No norte estás Tu.
De Molhobico a 27 de Fevereiro de 2009 às 17:24
Li em
http://www.exalunosdafigueira.com/hist507ht/aluns/Pessoais/exalunosdafigueiraPessoaisAdBrandao02.html
parte da sua história.
De facto é preciso ser muito persistente para aguentar o vexame que está a ser imposto ao amigo Adriano Jordão. Uma instituição onde existem comissões de professores, à partida, gente bem formada, deveriam ter um compostamento compatível com o seu estatuto.
Assim, cremos que a Maiêutica é uma empresa sem gente à altura e eu negar-me -ia a fazer parte de uma escola assim. Gente desta não merece respeito.
De Professor Superior a 23 de Setembro de 2009 às 11:26
Conhecem o Doutor Brandão? Qualquer pessoa que tenha pelo ISMAI sabe que esse individuo é doido. Lamento verificar que o SNESUP, onde estou sindicalizado, é representado por semelhante personagem, contribuindo, em larga medida, para descredibilização do mesmo.
De Anónimo a 23 de Setembro de 2009 às 20:28
O professor superior faz-me lembrar aquela história dum tipo que foi ao psicanalista e perguntou: Dr. Acha que eu tenho um complexo de inferioridade? E ele respondeu.Não! O Senhor é mesmo inferior!

Quem se afirma professor superior deve pertencer à mesma categoria! Pois caro anónimo, eu conheço muito bem o Professor que o srenhor, miserável e cobardemente insultou! Mas está estupidamente enganado porque quem merce o título de professor Superior é o professor que o senhor insulta! E o curriculo dele fala por si! E já agora: e o seu?
JVL
De lamire a 23 de Setembro de 2009 às 11:42
Poderíamos retirar este comentário. Democraticamente não o fazemos.
Realmente é muito feio vir para aqui tentar ver-se ao espelho. Mas, de facto teerá que usar outro tipo de óculos. É que, sendo professor Superior, como se intitula, deveria ter um pouco mais de visão alargada, que é, como quem diz, MAIS RESPEITO.
Conheço, sim senhor, o Dr. Brandão e com muto prazer e lamento que ainda haja casos como este em Portugal e já agora professores Superiores, como o senhor Professor. Por isso, a si, aconselho-o a ir ao médico! É o mínimo que lhe posso desejar.
De R. Neves a 23 de Setembro de 2009 às 12:15
Se estivéssemos num país onde a Justiça e o Direito fossem respeitados, o professor doutor Brandão, contra a arrogância da ilegalidade, já ocuparia de novo o lugar que lhe compete no ISMAI e, com certeza, não estaria sujeito a depressões cuja causa é bem conhecida.
FORÇA PROFESSOR!
De Professor Superior a 29 de Setembro de 2009 às 11:59
Agradeço a vossa democracia.
Todavia, lamento a vossa intolerância.
Currículo extraordinário? Visão alargada? Insultos cobardes?
Poupem-me.
Se o Doutor Adriano é tão excelente, porque razão mendiga ele um emprego num estabelecimento de ensino superior de 2.ª categoria?
Empreendedorismo teórico? Parasitismo prático...
Já percebi que V.Exas. São professores nas horas vagas e sindicalistas a tempo integral.
De Anónimo a 29 de Setembro de 2009 às 19:30
Queira identificar-se, Exmo Senhor Professor Superior, a fim de que - os que não são parvos, são livres de pensar e não têm medo de se identificarem - possamos responder, olhos nos olhos, a V. Exa - sabendo com quem estamos a falar e aproveitarmos até para pessoalmente reconhecermos essa superioridade.
Quisesse Deus que a superioridade de V. Exa estivesse ao nível da qualidade profissional e humana de Adriano Brandão! Mais do que professor superior Vexa seria também um Ser Superior (não um deus, entenda) e desse modo, não teríamos dúvidas de que teria condições de discutir connosco - com conhecimento e modos adequados - o professor, a obra e, sobretudo, a pessoa de ADRIANO BRANDÃO, que, por nossa parte, conhecemos por forma bastante para demonstrar que, realmente, no mínimo, o Prof. Brandão será tão «superior» como V. Exa , até porque não é pessoa para querer ser mais do que isso. Talvez nem exigisse tanto, aliás. Se assim não fosse, há muito que teria acabado com a humilhação a que tem sido sujeito na sua escola, independentemente dos fundamentos dos seus autores e dos respectivos mentores.

MARQUES DA SILVA
De JVl a 30 de Setembro de 2009 às 22:42
O senhor professor superior não merece mais latim. Mas desconfio que confunde os torpes comentários que vocifera com o espelho da Branca de Neve.
JVL

comentar artigo

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.links

.pesquisar

 

.artigos recentes

. Exposição de Desenho, esc...

. XVIII Encontro SIC em Pom...

. Nesta noite de Natal

. Cónego Adriano Santo: Obr...

. Parabéns duplicados

. Faleceu o Celestino Mende...

. Pai de Padre Luís Leal, P...

. Padre de Lúcia já é bispo

. Operação Permanente de So...

. 17 encontro dos ex aluno...

. Religião: D. João Lavrado...

. AIC homenageia Cónego Adr...

. Centenário de Mons. Raul ...

. Cónego Dr. Manuel Paulo f...

. Al-BAIÄZ, Associação de D...

. Grupo de Ex funda OPS com...

. João Dias na despedida de...

. Família de quatro vive se...

. 25 anos de Bispo

. Reconhecimento Merecido

. Testemunhos vivos

. Bodas de ouro sacerdotais...

. Programas de Solidariedad...

. Ex.s - DEZ MANDAMENTOS

. Recado do Papa aos Bispos

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

.temas

. todas as tags

.subscrever feeds