Quarta-feira, 7 de Junho de 2006

O Professor não sabia

Abílio Duarte Simões

In: correio de Coimbra, 1jun06

..............................

O professor Manuel Maria Carrilho pode, de facto, ter sido barbaramente atacado na sua estrutura familiar.

Pode não ter razão alguma nas críticas que formula no seu livro.

Pode ter só alguma (limitada) razão.

Pode não resistir à crítica de que só apresenta "considerações genéricas e indiferenciadas".

Pode ter tardado demasiado tempo para tomar uma atitude destas.

Pode não saber perder. Pode não saber aceitar que os eleitores têm sempre razão.

Pode "ter-se posto a jeito", para usar palavras de conhecido comentador.

Pode considerar que um aperto de mão se dá, ou recusa, conforme as câmaras estão ligadas ou desligadas.

Pode proceder como gostam certas figuras públicas, fazendo desconhecer estarem a ser filmadas e tirarem da filmagem todo o partido possível.

Pode não explicar (nem de tal ser capaz) a inusitada paixão (processual, já se vê) de Emídio Rangel, homem reconhecidamente por dentro de todos os meandros agora tão acidamente criticados.

Pode tardiamente ter chegado a uma conclusão sobre o pérfido (diz ele, entenda-se) papel das agências noticiosas.

Pode (também) ter ficado mal colocado com a acusação de Emídio Rangel sobre "jornalistas avençados da PT".

Pode ter-se sentido aliviado quando essa acusação foi desmentida em relação a dois nomes conhecidos. Pode alguma vez ter beneficiado do que agora pretendeu arrasar.

Pode a humildade (naturalmente laica) não ser nele a maior virtude.

Pode não ter esclarecido a acusação de ter adulterado, sem autorização, diversas entrevistas que lhe foram feitas e que depois publicou como entendeu.

Pode sentir-se no direito de "caluniar e insultar toda a gente que não lhe rende homenagem".

Onde abundam as hipóteses esbatem-se as certezas? E intencionalmente assim se procede. Exactamente porque não se escreveu para atacar quem atacou. Escrevi por causa de uma sua afirmação que não vi desmentida. Nem esclarecida. Nem objecto de qualquer explicação.

Falando do cumprimento que não existiu (logo de seguida o seu adversário lançou-lhe um simpatiquíssimo epíteto), disse o filósofo político: "Eu não sabia que estava a ser filmado"!

O homem tinha direito aos gestos privados que entendesse assumir e podia prescindir de algumas normas de boa educação? Era obrigado a exteriorizar uma simpatia que, indiscutivelmente, lhe não ia na alma nem no coração? Podia ultrapassar regras de etiqueta que ali, sem câmaras, considerava dispensáveis?

Sabemos que, muitas vezes, os políticos reduziram essa nobre arte a um espectáculo. E todos nos reconhecemos o direito de não acreditarmos piamente em tudo o que nos querem fazer aparecer, nem que seja uma (forçada?) educação, expressa em (pouco) amável cumprimento e em (não menos) forçados risos amarelos.

Seja como for, o que não foi realizado para as câmaras não fazia parte do espectáculo. E (educadamente) tinha direito ao recato dos corredores.

Já agora, se me permitem, não escrevi este artigo para defender quem não conheço! Pretendi reflectir que, noutras situações, muito específicas, muito (penso eu) mais dignas e merecedoras de acrescido respeito, tem de haver normas, devem estar consagradas exigências, limites são indispensáveis. Para que nem tudo seja reduzido ao (puro) espectáculo. E seja respeitado (pelo menos) quem não se rende à violência das câmaras, à intranquilidade que suscitam, ao desrespeito que promovem.

E se essas normas não vierem com clareza, objectividade, frontalidade (depois de tardarem tanto tempo), quem sabe se outro caminho não haverá de seguir-se. Talvez todos fiquemos descansados...

publicado por lamire às 00:52
link do artigo | comentar | favorito
|

.SIC

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.links

.pesquisar

 

.artigos recentes

. Exposição de Desenho, esc...

. XVIII Encontro SIC em Pom...

. Nesta noite de Natal

. Cónego Adriano Santo: Obr...

. Parabéns duplicados

. Faleceu o Celestino Mende...

. Pai de Padre Luís Leal, P...

. Padre de Lúcia já é bispo

. Operação Permanente de So...

. 17 encontro dos ex aluno...

. Religião: D. João Lavrado...

. AIC homenageia Cónego Adr...

. Centenário de Mons. Raul ...

. Cónego Dr. Manuel Paulo f...

. Al-BAIÄZ, Associação de D...

. Grupo de Ex funda OPS com...

. João Dias na despedida de...

. Família de quatro vive se...

. 25 anos de Bispo

. Reconhecimento Merecido

. Testemunhos vivos

. Bodas de ouro sacerdotais...

. Programas de Solidariedad...

. Ex.s - DEZ MANDAMENTOS

. Recado do Papa aos Bispos

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

.temas

. todas as tags

.subscrever feeds